quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

ROCK IN RIO


Rock in Rio 2011: palco Sunset terá artistas nacionais e internacionais dividindo mesmo palco

De Esperanza Spalding a Jorge Drexler, de Tiê a Martinho da Vila: Rock in Rio apresenta atrações do palco Sunset

Plantão | 22/02 às 20h40 Lívia Brandão

 

RIO - Em meio a uma escalação repleta de artistas que pisaram recentemente em solo brasileiro, o palco Sunset promete ser o celeiro das inovações do Rock in Rio 2011. A ideia do espaço, com capacidade para até 25 mil pessoas, é reunir artistas novatos aos consagrados, brasileiros e internacionais, em encontros musicais inusitados. A escalação dos 24 shows, muitos deles anunciados no fim da tarde desta terça-feira, no Rio, vai desde Milton Nascimento e a ganhadora do Grammy Esperanza Spalding (que se apresentou no Tim Festival de 2008), passando por Angra e a musa do metal Tarja Turunen, ex-vocalista do Nightwish, as amigas de longa data Bebel Gilberto e Sandra de Sá em homenagem a Cazuza, além da dobradinha dos já previamente anunciados Erasmo Carlos e Arnaldo Antunes, Mutantes e Tom Zé.
Veja a lista completa das atrações do palco Sunset
- Cada show é cuidadosamente preparado, pensado e ensaiado para que os artistas saiam de sua zona de conforto e criem um universo novo. Buscamos músicos de qualidade e cheios de generosidade para criar um show diferente e único - comemorou o diretor artístico Zé Ricardo, que trará o festejado Mike Patton, de bandas como Faith no More e Fantômas, para tocar seu projeto de canções italianas "Mondo Cane" em parceria com uma orquestra brasileira, além de reunir músicos de bandas como Misfits, Exodus, Destruction e Dead Kennedys especialmente para o festival. 
Implementado nas edições de Madri e Lisboa desde 2008, o Sunset é uma das meninas dos olhos da direção do Rock in Rio e foi preparado para receber o público do festival desde a abertura do Parque Olímpico Cidade do Rock, na Barra da Tijuca, até o começo dos trabalhos no palco Mundo, o principal. Não à toa, a primeira edição do Sunset na cidade de origem do festival foi apresentada com toda a pompa e circunstância sob o pôr do sol de Ipanema no chiquérrimo hotel Fasano. De frente para uma das praias mais famosas do mundo, subiram ao palco Andreas Kisser e Ed Motta; Tulipa Ruiz e João Donato; Tiê e Zeca Baleiro, entre outros.
- Não tenho dúvidas de que o Sunset vai ser o ponto alto do evento. A ideia é buscar o espírito das jam sessions dos pequenos clubes e levar ao palco do Rock in Rio. A intenção é reproduzir este clima de improviso e criação musical na frente de milhares de pessoas - explicou Roberta Medina, vice-presidente do RiR e filha de Roberto Medina. Para entrosar os artistas, os camarins dos convidados do Sunset foram planejados em torno de um grande lounge, para que os músicos possam testar novos sons conjuntamente ainda nos bastidores.
Um dos nomes confirmados para esta edição, Martinho da Vila já é veterano no Sunset.
- Tive o prazer de me apresentar com (o músico português) Luis Represas no Rock in Rio Lisboa do ano passado. Estou muito feliz de tocar com o Cidade Negra e o (rapper paulista) Emicida. Já nos conhecemos, gravamos juntos e queremos fazer um show de música "preta", misturar samba, soul, funk, reggae... - explicou.
Já Tiê, parte integrante do movimento de neo-MPB chamado de Novos Paulistas, vai ter seu début no megafestival com a chance de apresentar ao vivo sua recente parceria com Jorge Drexler. O uruguaio gravou uma faixa para o novo disco da cantora, "A coruja e o coração", que será lançado em março.
- Quando surgiu o convite para tocar no RiR eu já tinha convidado o Jorge para participar do meu disco, mandei uma faixa para ele ouvir e gravamos. Resolvemos comemorar essa parceria no palco Sunset, fazer essa brincadeira juntos.
O Rock in Rio 2011 acontece nos dias 23, 24, 25 e 30 de setembro e em 1º e 2 de outubro.











quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

MAD HATTER


 MAD HATTER



PERFIL PARA DIVULGAÇÃO DE EVENTOS!
TWITTER:
http://twitter.com/bandamadhatter
COMUNIDADE:
http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=3466717

Criada em abril de 2005 na cidade de Pouso Alegre-MG, a banda traz em seu repertório músicas que vão desde as pauleiras de Motörhead e Black Sabbath aos clássicos de Pink Floyd e Creedence. A formação atual é composta por membros que já passaram pela banda em épocas distintas, além de atuarem na cena underground da região em outras bandas, e agora retornam com força total para continuar levando o Rock 'n' Roll dos confins do inferno aos ouvidos mais bêbados nos lugares mais escuros e traiçoeiros da Terra.

Tributo a grandes bandas do Rock em geral, como:

♪ Pink Floyd;
♪ Motörhead;
♪ Black Sabbath;
♪ Ozzy Osbourne;
♪ AC/DC;
♪ Led Zeppelin;
♪ The Beatles;
♪ Creedence;
♪ Steppenwolf;
♪ Deep Purple;
♪ Metallica;
etc.


INTEGRANTES:
 
Álan "Gnu" Machado - Vocais
▪ Com: (35) 8834 - 0334
▪ Res: (35) 3423 - 2623
▪ MSN & E-mail: alan.machado@live.com

http://twitter.com/_monstro
 
Renato "Codorna" Timossi - Guitarra
▪ Cel: (35) 9926 - 5654
▪ MSN & E-mail: r_timossi@hotmail.com
 
Bruno "Grilo" Dias - Guitarra
▪ Cel: (35) 9179 - 9782
▪ MSN & E-mail: bruno.pdias@hotmail.com

 
Juliano "Jujuba" Ávila - Bateria
▪ Cel: (35) 8868 - 3108
▪ MSN & E-mail: julianorock30@hotmail.com
▪ E-mail: julavila@yahoo.com.br

Henrique "Mudão" Abate - Baixo
▪ Cel: (35) 9904 - 6818
▪ MSN & E-mail: malkavian_h@hotmail.com








sábado, 12 de fevereiro de 2011

AGE OF STEEL


AGE OF STEEL






Ok, valeu por esperarem! estamos de volta por vocês! agora com um novo nome! em breve divulgaremos nossos shows! agradeço a todos amigos e fãs, por terem aguardado nossa mudança. mandaremos novas noticias pra vocês! 
e vida longa ao heavy metal!
estamos muito felizes e com muito mais entusiasmo.
nosso nome representa nada mais nada menos, uma época medieval difícil de não ser lembrada a idade do aço, nossa banda tem esse nome por todos terem como ídolos a banda Iron maiden, e porque adoramos a Era medieval, 
quero me despedir  mas estamos na ativa mandem recados ou perguntas e propostas, suas idéias são muito bem vindas agora! valeu mesmo...
até mas

     Karlos AS (batera da banda Age of Steel)


sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

ROCK IN RIO





Rock in Rio I – 1985
Na década de 1980 diversas bandas de Metal e Hard Rock começaram a se destacar e fazer sucesso e o público pode acompanhar o auge de bandas como Queen, Scorpions, AC/DC entre tantas outras. O conceito daquele Rock in Rio seguia a risca de seu nome, era puro Rock and Roll, aquele Rock in Rio era apenas o primeiro e o único que marcaria a reunião de gigantes que o público presente jamais esqueceria. O evento aconteceu na Cidade do Rock, construída unicamente para a apresentação do festival entre os dias 11 e 20 de janeiro de 1985 em Jacarepaguá no Rio de Janeiro.
Com dez dias de duração o primeiro Rock in Rio entrou pro mapa mundial de grandes shows e marcou a história, aquele evento arriscado de estreia criado por um brasileiro, Roberto Medina, aconteceu no ano de 1985 e nós vamos relembrar seus melhores momentos. O ano do evento foi marcado por grandes acontecimentos, era também o fim de 20 anos de ditadura com a eleição de Tancredo Neves. Com 16 anos de atraso o Rock in Rio foi equivalente a cinco Woodstocks, fazendo a alegria de mais de um milhão e meio de pessoas, trazendo finalmente um verdadeiro festival de rock. Graças a liberdade o rock conseguiu entrar na memória e na vida das pessoas.

Apesar das marcas do tempo nas imagens, assistir a apresentação do Queen ainda emociona. Whitesnake que caiu de pára-quedas no festival de última hora, ninguém sabia que tinham tantos fãs aqui no Brasil. O grupo britânico foi convocado para substituir a banda “Def Leppard” que era na época o segundo em vendas de LP ficando atrás apenas de “Thriller” do reio do pop Michael Jackson. Infelizmente, poucas semanas antes do festival o baterista Rick Allen, sofreu um acidente de carro em 31 de dezembro de 1984 que resultou na perca do seu braço esquerdo. Os organizadores certamente tiveram um susto ao ver a reação da platéia com os maiores sucessos do Whitesnake como “Love Ain´t No Stranger”, “Crying in the Rain” e “Slide it In” foi um grande sucesso a escolha e uma deliciosa surpresa.
Com as grandes lendas do rock presentes no festival, quem mais ganhou foram as bandas brasileiras que eram pequenas até então e tiveram a oportunidade de tocar nos mesmos palcos que eles e tocar para o público deles. O destaque que as nossas bandas ganharam graças ao Rock in Rio acabou destacando algumas como maiores que as gringas, como é o caso do Paralamas do Sucesso e Capitão Inicial. O primeiro artista a subir ao palco do Rock in Rio no primeiro Rock in Rio foi Ney Matogrosso, o cantor nunca tinha se apresentado para uma multidão igual aquela. Vestindo apenas uma tanguinha de pele de onça Ney caricato como ele só, preparou o público presente para as grandes apresentações da noite.

A estrutura do Rock in Rio levou os músicos brasileiros a acreditarem que tudo poderia ser possível, Nelson Motta contou a Globo News que os artistas pensavam que um dia poderiam construir uma mesa de som gigante com diversos recursos que eles não tinham acesso e quando viram estava ali na frente deles. Os técnicos, o palco que girava a estrutura em si era tudo muito absurdo e profissional e os organizadores capricharam trazendo de fora tudo que era moderno e super avançado pro que nós tínhamos aqui no país.
Em 15 de janeiro de 1985 Tancredo Neves era eleito presidente do Brasil, e o Barão Vermelho subiu o palco do Rock in Rio com a esperança de uma nação inteira e com a liberdade pós ditadura. Frejat ao cantar com Cazuza (que ainda fazia parte da banda) a música “Pro Dia Nascer Feliz” tinha a certeza que teria um Brasil muito diferente a partir dali, por que Tancredo já simbolizava um futuro democrático. Cazuza fala em sua apresentação e deseja “Que o dia nasça lindo pra todo mundo amanhã, com um Brasil novo”. A bandeira do Brasil era vista em todos os cantos da Cidade do Rock e principalmente nas mãos dos artistas no palco, era uma grande festa para uma grande vitória



Paula Toller foi a primeira atração e subiu ao palco do primeiro dia democrático do Brasil comandando ainda o Kid Abelha e Os Abóboras Selvagens, abrindo o dia que entraria para a história. Os cabelos eram diferentes as roupas destoavam, mas o talento e a performance eram impecáveis. O nervosismo deveria tomar conta, mas a tranquilidade de ter diante daquela multidão enlouquecida apena so retorno, o carinho e o reconhecimento fizeram do primeiro Rock in Rio uma janela para tantas outras edições nacionais e internacionais. Coadjuvantes na grande festa do Metal naquela época eram apresentações como Nina Hagen e The B-52′s e grandes nomes, que ficava difícil distinguir qual deles era realmente o mais querido e aguardado pelo público.

Os shows do Iron Maiden nunca foram simples apresentações, o mascote da banda Eddie sempre faz suas aparições que caracterizam e empolgam o público tanto pelo tamanho como pelo carisma bem humorado da banda satânica! Pra época a participação do mostro daquele tamanho era uma novidade e causou bastante alvoroço, ao som dos maiores sucessos da banda como “The Trooper” e “The Number Of The Beast”. A banda fez apenas uma apresentação na primeira edição diferente das outras, mas consideram até hoje esse show como um dos momentos mais marcantes de sua carreira, inclusive cenas dessa apresentação estão no DVD “Live After Death”.

Ozzy Osbourne que em 1982 havia matado um morcego a dentadas durante uma de suas apresentações, teve que assinar uma cláusula contratual que o proibia de comer qualquer animal vivo no palco, inclusive um fã chegou a jogar uma galinha no palco, mas Ozzy entregou a produção sem mordê-lo. O cantor que estava em turnê divulgando o seu álbum “Bark At The Moon” de 1983, chegou a achar que seria vaiado pelo público por se apresentar antes do escocês Rod Stewart, que possui um som completamente diferente do seu. Mas em grande estilo realizou um show fenomenal começando vestido com uma camisa do Flamengo dada por um fã. 


Outra curiosidade do festival foi a exigência que a banda AC/DC fez para poder tocar no festival, eles largaram as gravações do álbum “Fly on the Wall”, após a organização do evento ter liberado que eles trouxessem um sino de meia tonelada, que pretendiam colocar no palco para ser tocado na música “Hell Bells”. Porém a estrutura do palco não aguentaria o peso do sino, então o cenógrafo foi obrigado a fazer do dia pra noite um sino de gesso para simbolizar o original. O final do show foi marcado por dois canhões que dispararam de cada lado do palco no final da música “For those about to rock”. 
A banda Queen sem dúvida alguma era a estrela máxima daquele festival e pro isso a primeira edição jamais será esquecida pelos presentes, Freddie Mercury considerava a apresentação da música “Love Of My Life” aqui como a melhor feita pela banda em todos os tempos. E nós, nem ninguém podemos discordar, aposto que todos ainda hoje quando assistem se arrepiam e lamentam (os não presentes) por não terem presenciado este fato da música
Com o final da primeira edição do Rock in Rio o então governador do Rio de Janeiro, Leonel Brizola decretou que os organizadores teriam invadido um terreno patrimônio da cidade e então foi confirmada a demolição da Cidade do Rock.
Rock in Rio II – 1991
Graças ao grandioso sucesso da primeira edição o criador do evento Roberto Medina, decidiu realizar a segunda edição do Rock in Rio seis anos mais tarde. E pelos problemas com o governo do estado o Rock in Rio II foi realizado no estádio do Maracanã, onde todo o gramado foi adaptado para receber as 700 mil pessoas em nove dias de festival.
Na segunda edição do festival já em 1991, as bandas nacionais estavam no seu auge depois de terem sido alavancados para a fama na primeira edição do festival. Grandes nomes se apresentavam já com sua legião de fãs espalhados na Cidade do Rock, como foi o caso de Capital Inicial com Dinho Ouro Preto no comando de cabelos longos e uma super autoconfiança, Titãs que não esteve na primeira edição ainda com sua formação completa pode sentir finalmente o que era o grandioso Rock in Rio. Lobão e sua cabeleira também fizeram parte fazendo uma apresentação histórica.

A edição contou mais uma vez com grandes nomes gringos como George Michael, a boyband New Kids On The Block que originou e inspirou tantas outras boybands como é o caso que acabou virando turnê só em 2010 com os Backstreet Boys. Judas Priest e o seu Metal pesado e suas roupas de couro incendiaram uma nação carente de um bom Heavy Metal.

A banda mais aguardada desta edição era sem dúvida o Guns N’ Roses do nosso querido Axl, a banda fez duas apresentações memoráveis e com direito a várias músicas inéditas que só seriam lançadas no final do ano nos álbuns de maior sucesso do grupo “Use Your Illusion I” e “Use Your Illusion II”. Axl naquela época educado agradeceu ao presidente brasileiro Fernando Collor de Melo por permitir a realização do Rock in Rio. No final de sua apresentação Axl ficou só de cueca (uma tanguinha branca) no palco, quando eis que surge um fã vestindo apenas um short no palco, todos os seguranças foram pra cima dele e o pobre homem acabou com as calças arriadas em frente a uma multidão.
A banda brasileira Sepultura viveu um dos momentos mais marcantes de sua carreira ao participar do Rock in Rio II, a banda teve direito a apenas 30 minutos de show, que alavancou de uma forma absurda a fama do grupo pelo mundo. Na época liderada pelos irmãos Max e Igor Cavaleira a banda estava gravando seu quinto disco chamado “Arise” e eles aproveitaram o momento da melhor forma possível lançaram uma versão bônus pré-mixada do “Arise” com uma faixa bônus “Orgasmatron” da banda Motorhead.

Logo depois de Sepultura quem subiu o palco do Rock in Rio foi o cantor Lobão, que sofreu bastante com a indignação do curto show da banda anterior, recebendo copos e garrafas de plástico no palco, ele foi realmente atacado. E pra piorar ainda mais a situação da “Noite do Heavy Metal”, pra qual ele foi escalado para se apresentar. Lobão reagiu e saiu do palco e dos 40 minutos de show só sobrou o encerramento com a escola de samba da Mangueira, que foi corajosa o suficiente para enfrentar o público revoltado.
Rock in Rio III – 2001
Dez anos mais tarde da segunda edição e dezesseis da primeira, eis que ressurge a terceira edição do Rock in Rio que conseguiu um aval do governo do estado para retornar ao seu local de origem e então uma nova Cidade do Rock foi construída. Realizado nos dias 12 a 14 e 18 a 21 de janeiro a nova estrutura permitiu a presença de 250 mil pessoas por dia no festival, além de contar com outros palcos e tendas. Havia tendas de música eletrônica (“Tenda Eletro”), música nacional (“Tenda Brasil”, na qual artistas brasileiros apresentavam-se), música africana (“Tenda Raízes”) e música mundial (“Tenda Mundo Melhor”).
Com o tema “Por Um Mundo Melhor”, as apresentações do primeiro dia de festival fizeram cinco minutos de silêncio antes de se apresentarem e conseguiram um marco as 19 horas daquele dia 12 de janeiro de 2001, três mil rádios e 522 TVs silenciaram pela melhoria do mundo. O início e o fim do ato foram marcados pelo toque de sinos e pela libertação de pombas brancas, representando um pedido pela paz mundial.

Foi na terceira edição do Rock in Rio que tivemos o prazer de assistir um show incrível com a grande Cássia Eller, que deu ao público tudo que eles queriam e mais um pouquinho ao mostrar os seios no palco ao som do cover “Come Together”, dos Beatles. Cássia estava acompanhada dos percussionistas da banda pernambucana Nação Zumbi, que marcou o encerramento da turnê “Com Você… Meu Mundo Ficaria Completo”. Ela chamava o Rock in Rio do seu particular Woodstock e fez questão de homenagear Kurt Cobain com a música “Smells Like Teen Spirit”. A apresentação de Cássia Eller foi imortalizada no DVD “Rock in Rio ao Vivo (Cássia Eller).

Guns N’ Roses com um Axl completamente diferente de hoje, o Axl que nós aprendemos a amar e a sua voz inconfundível, mas que já apresentava alguns probleminhas da formação original da banda só restavam ele e o tecladista Dizzy Reed. Mas para a surpresa dos fãs o novo guitarrista Robin Finck surpreendeu o público falando em português e mandando ver um cover da música “Sossego” de Tim Maia. A banda Papa Roach teve seu passaporte carimbado para o Rock in Rio por única sugestão de Axl Rose.
Os problemáticos irmãos do Oasis, Noel e Liam Gallagher começaram a tirar onda desde o caminho para o Brasil, ainda no avião o vocalista Liam assediou uma aeromoça do British Airways, já na coletiva de imprensa declarou guerra a banda Guns N’ Roses dizendo: “Um ar mais puro e nada de armas e rosas”. Apesar de ter mexido com os fãs da banda, o show seguiu sem maiores problemas e no encerramento Liam novamente mencionou o Guns, ao som da música “Rock ‘n’ Roll Star”, Liam disse: “Esta vai para o Senhor Rose”.

O que marcou sem dúvida, para a decepção dos metaleiros foi a participação de bandas pops como “Patu Fu”, “Sandy & Junior” e a princesinha do POP Britney Spears que cometeu todas as gafes e erros possíveis. Britney foi vaiada ao se apresentar com a bandeira americana no palco durante a música “Lucky”, assim como fez em todos os shows de sua turnê. Os brasileiros detestaram a falta de atenção da cantora com o país. Outro motivo que fez com que Britney fosse alvo dos fãs foi a polêmica de que ela teria se apresentado fazendo playback, só que logo foi esclarecido que a cantora usou um recurso chamado “Base Pré-Gravada”, que seria ela cantando em cima da música que já estava gravada. A justificativa de seus assessores foi devido ao grande número de coreografias que a cantora fazia em suas apresentações, o que tornaria impossível cantar ao vivo. O recurso prejudicou a apresentação, uma vez que só quando Britney falava e realmente cantava só o público presente conseguia ouví-la, quem assistiu de casa escutou apenas o disquinho gravado.
Rock in Rio IV – 2011

Estes foram os melhores momentos das três edições do Rock in Rio que aconteceram aqui no Brasil, no Rio de Janeiro. E é neste clima que convidamos todos vocês para a próxima edição do festival nos dias 23, 24, 25, 30 de setembro e 01, 02 de outubro de 2011, na Cidade do Rock em Japarepaguá seu local de origem.

Algumas das principais atrações já foram anunciadas como Red Hot Chilli Peppers, Metallica, Coldplay, Rihanna, Katy Perry, Elton John, Motorhead, Snow Patrol, Coheed & Cambria, Stone Sour e as nacionais Sepultura, Angra, Capital Inicial e Skank por enquanto. Fique de olho e garanta já seu ingresso o passaporte para o maior festival de música do Planeta, começará a ser vendido em maio deste ano!
Veja o que os organizadores estão preparando para a Cidade do Rock:


Fotos: Reprodução




segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

GARY MOORE



Gary Moore: músico morreu sufocado pelo próprio vômito




O ás da guitarra GARY MOORE morreu enquanto estava de férias ontem – sufocado pelo seu próprio vômito depois de ter tomado champanhe e brandy.
O ex-astro do THIN LIZZY, de 58 anos foi descoberto pouco antes das quatro da manhã por sua namorada, inconsciente em seu quarto de hotel na Espanha.




Os médicos o encontraram sem vida, deitado de costas, vestindo apenas sua roupa de baixo. Uma fonte da ambulância disse: “Acreditamos que o falecido tinha bebido muito. Sua namorada estava muito transtornada, chorando muito.”
Moore, considerado como um dos melhores guitarristas de sua geração, era mais conhecido por seu tempo com o Thin Lizzy. Ele tocou em seus sucessos, ‘Waiting For an Alibi’ e ‘Do Anything You Want to’.
Ele também se juntou ao frontman do Thin Lizzy e seu compatriota irlandês Phil Lynott para os sucessos de sua carreira solo ‘Parisienne Walkways’ e ‘Out In The Fields’. Nos últimos anos o guitarrista nascido em Belfast tinha moldado uma nova carreira com músico de blues, lançando discos aclamados pela crítica e tocando com lendas como BB King e Bob Dylan.
Bob Geldof descreveu Moore como uma das lendas musicais da Irlanda. Ele disse: “Um dos maiores blueseiros de todos os tempos. Van Morrison, Rory Gallagher e Gary Moore – a trindade gloriosa dos blueseiros irlandeses.”


Os ex-companheiros de banda de Moore, chocados, também renderam tributos. Eric Bell, outro ex-guitarrista do Thin Lizzy, disse: “Eu não consigo acreditar nisso. Ele era tão robusto, ele não era do tipo vítima do rock, ele era um cara saudável. Ele era um músico soberbo e dedicado.”
O baterista da banda, Brian Downey acrescentou: “Eu estou em complete choque. Eu conheço Gary desde 1967 e ele tem sido um amigo fabuloso desde então. Ele estará sempre em meus pensamentos e orações.”
O empresariamento do Thin Lizzy  disse: “Nossos pensamentos vão para a família de Gary nesse momento. Nossas memórias de Gary e sua contribuição para o Thin Lizzy e para com a música em geral vão viver para sempre.”
Moore morreu horas após ter dado entrada no Kempinski Hotel em Estepona com sua namorada, que está na casa dos 30 anos, para um período de seis dias.
A fonte do hotel disse: “eles iam comer no restaurante, mas ele estava fechado, então eles comeram um sanduíche no bar com uma garrafa de champanhe. Eles saíram para um passeio a pé e voltaram para o bar onde Gary tomou brandy. Ele parecia bem quando saiu por volta das 11 da noite.”

Moore fez parte do Thin Lizzy no fim dos anos 70, quando a banda era famosa por farras regadas a bebida e drogas.
Em 1986, Lynott, a quem Moore conhecia desde que eram adolescentes, morreu de pneumonia, causada por seu vicio em heroína. Ele tinha 36 anos.



Fonte desta matéria (em inglês): The Sun
Traduzido por Nacho Belgrande | Em 07/02/11 | Fonte: The Sun





                      Discografia Gary Moore 

                                                      Bad For You Baby: 2008

 

01. Bad for you baby
02. Down the Line
03. Umbrella Man
04. Holding On
05. Walkin’ Thru the Park
06. I Love you More than you’ll ever Know
07. Mojo Boogie
08. Someday Baby
09. Did you ever feel lonely?
10. Preacher Man Blues
11. Trouble ain’t far Behind
12. Picture on the Wall

 
     Close As You Get: 2007
 

                                                                    

 

01. If The Devil Made Whiskey
02. Trouble At Home
03. Thirty Days
04. Hard Times
05. Have You Heard
06. Eyesight To The Blind
07. Evenin’
08. Nowhere Fast
09. Checkin’ Up On My Baby
10. I Had A Dream
11. Sundown

     One Night at Dublin - ATribute to Phil Lynott: 2006
 

 

01. Walking by Myself
02. Jailbreak
03. Don¿t Believe a Word
04. Emerald
05. Still in Love With You
06. Black Rose
07. Cowboy Song
08. The Boys Are Back in Town
09. Whiskey in the Jar
10. Old Town / Parisienne Walkways
 
 
 
   Old, New, Ballad, Blues: 2006
 

 

01. Done Somebody Wrong
02. You Know My Love
03. Midnight Blues (2006)
04. Ain’t Nobody
05. Gonna Rain Today
06. All Your Love
07. Flesh And Blood
08. Cut It Out
09.No Reason To Cry
10. I’ll Play The Blues For You
 
      Power Of The Blues: 2004 






01. Power Of The Blues
02. There’s A Hole
03. Tell Me Woman
04. I Can’t Quit You Baby
05. That’s Why I Play The Blues
06. Evil
07. Getaway Blues
08. Memory Pain
09. Can’t Find My Baby
10. Torn Inside
 
        Live At Monsters Of Rock: 2003
 

 

01. Shapes Of Things
02. Wishing Well
03. Rectify
04. Guitar Intro
05. Stand Up
06. Just Can’t Let You Go
07. Walking By Myself
08. Don’t Believe A Word
09. Out In The Fields
10. Parisienne Walkways
 
    Scars: 2002
 

 

01. When The Sun Goes Down
02. Rectify
03. Wasn’t Born In Chicago
04. Stand Up
05. Just Can’t Let You Go
06. My Baby (She’s So Good To Me)
07. World Of Confusion
08. Ball And Chain
09. World Keep Turnin’ Round
10. Who Knows (What Tomorrow May Bring)?
 
    Back To The Blues: 2001
 


 

01. Enough Of The Blues
02. You Upset Me Baby
03. Cold Black Night
04. Stormy Monday
05. Ain’t Got You
06. Picture Of The Moon
07. Looking Back
08. The Prophet
09. How Many Lies
10. Drowning In Tears

    A Different Beat: 1999
 

 

01. Go On Home
02. Lost In Your Love
03. Worry No More
04. Fire
05. Surrender
06. House Full Of Blues
07. Bring My Baby Back
08. Can’t Help Myself
09. Fatboy
10. We Want Love
11. Can’t Help Myself
 
     Dark Days In Paradise: 1997 







01. One Good Reason
02. Cold Wind Blows
03. I Have Found My Love In You
04. One Fine Day
05. Like Angels
06. What Are We Here For?
07. Always There For You
08. Afraid Of Tomorrow
09. Where Did We Go Wrong?
10. Business As Usual
 
   Blues For Greeny: 1995
 


 

01. If You Be My Baby
02. Long Grey Mare
03. Merry Go Round
04. I Loved Another Woman
05. Need Your Love So Bad
06. The Same Way
07. The Supernatural
08. Driftin’
09. Showbiz Blues
10. Love That Burns
11. Looking For Somebody
 
   Blues Alive: 1993
 

 

01. Cold Day In Hell
02. Walking By Myself
03. Story Of The Blues
04. Oh Pretty Woman
05. Separate Ways
06. Too Tired
07. Still Got The Blues (For You)
08. Since I Met You Baby
09. The Sky Is Crying
10. Further On Up The Road
11. King Of The Blues
12. Parisienne Walkways
13. Jumpin’ At Shadows
 
    After Hours: 1992 







01. Cold Day In Hell
02. Don’t You Lie To Me
03. Story Of The Blues
04. Since I Met You Baby
05. Separate Ways
06. Only Fool In Town
07. Key To Love
08. Jumpin’ At Shadows
09. The Blues Is Alright
10. The Hurt Inside
11. Nothing’s The Same
 
     Still Got The Blues: 1990 







01. Moving On
02. Oh Pretty Woman
03. Walking By Myself
04. Still Got The Blues
05. Texas Strut
06. Too Tired
07. King Of The Blues
08. As The Years Go Passing By
09. Midnight Blues
10. That Kind Of Woman
11. All Your Love
12. Stop Messin’ Around
 
      After The War: 1989
 


 

01. Dunluce
02. After The War
03. Speak For Your Self
04. Livin’ On Dreams
05. Led Clones
06. The Messiah Will Come Again
07. Running From The Storm
08. This Thing Called Love
09. Ready For Love
10. Blood Of Emeralds
11. Dunluce
 
            Wild Frontier: 1987 






01. Over The Hills And Far Away
02. Wild Frontier
03. Take A Little Time
04. The Loner
05. Friday On My Mind
06. Strangers In The Darkness
07. Thunder Rising
08. Johnny Boy
 
     Rockin' Every Night: 1986
 
 

 

01. Rockin’ Every Night
02. Wishing Well
03. I Can’t Wait Until Tomorrow
04. Nuclear Attack
05. White Knuckles
06. Rockin’ And Rollin’
07. Back On The Streets
08. Sunset

    Run For Cover: 1985
 

 

01. Run For Cover
02. Reach For The Sky
03. Military Man
04. Empty Rooms
05. Out Of My System
06. Out In The Fields
07. Nothing To Lose
08. Once In A Lifetime
09. All Messed Up
10. Listen To Your Heartbeat
 
       Victims Of The Future: 1984 






01. Shapes Of Thing
02. Hold On To Love
03. Murder In The Skies
04. Empty Rooms
05. Victims Of The Future
06. Teenage Idol
07. Devil In Her Heart
08. Law Of The Jungle
 
       Dirty Fingers: 1983
 

 

01. Hiroshima
02. Dirty Fingers
03. Bad News
04. Don`t Let Me Be Misunderstood
05. Run To Your Mama
06. Nuclear Attack
07. Kidnapped
08. Really Gonna Rock
09. Lonely Nights
10. Rest In Peace
 
     Corridors Of Power: 1982
 

 

01. Don’t Take Me For Loser
02. Always Gonna Love You
03. Wishing Well
04. Gonna Break My Heart Again
05. Falling In Love With You
06. End Of The World
07. Rockin’ Every Night
08. Cold Heated
09. I Can’t Wait Until Tomorrow
 
      G-Force: 1980
 

 

01. You
02. White Knuckles / Rockin’ And Rollin’
03. She’s Got You
04. I Look At You
05. Because Of Your Love
06. You Kissed Me Sweetly
07. Hot Gossip
08. The Woman’s In Love
09. Dancin’
 
        Black Rose: 1979
 

 

01. Do Anything You Want To
02. Toughest Street in Town
03. S&M
04. Waiting for an Alibi
05. My Sarah
06. Got to Give It Up
07. Get Out of Here
08. With Love
09. Roisin Dubh (Black Rose): A Rock Legend
 
 
Back On The Streets: 1979
 

 

01. Back On The Streets
02. Don’t Believe A Word
03. Fanatical Fascists
04. Flight Of The Snow Moose
05. Hurricane
06. Song For Donna
07. What Would You Rather Bee Or A Wasp
08. Parisienne Walkways
  
 
 Electric Savage: 1977
 

 

01. Put It This Way
02. All Skin & Bone
03. Rivers
04. The Scorch
05. Lament
06. Desperado
07. Am I
08. Intergalactic Strut
 
     War Dance: 1977
 

 

01. War Dance
02. Major Keys
03. Put It That Way
04. Castles
05. Fighting Talk
06. The Inquisition
07. Star Maiden/Mysterioso/Quasar
08. Last Exit

     New Flesh: 1976
 

 

01. Dark Side of the Moog
02. Down to You
03. Gemini and Leo
04. Secret Places
05. On Second Thoughts
06. Winds
 
      Grinding Stone: 1973
 

 

01. Grinding Stone
02. Time To Heal
03. Sail Across The Mountain
04. The Energy Dance
05. Spirit
06. Boogie My Way Back Home
 
     34 Hours: 1971
 

 

01. Night of the Warm Witch
02. First Thing in the Morning
03. Mar
04. Go, I’m Never Gonna Let You, Pt. 1
05. Lonesome Still
06. Love Story, Pt. 1
 
         Skid: 1970
 

 

01. Mad Dog Woman
02. Virgo’s Daughter
03. Heading Home Again
04. An Awful Lot of Woman
05. Unco-Up Showband Blues
06. For Those Who Do
07. After I’m Gone
08. Man Who Never Was
09. Felicity